Timon

10 pessoas são indiciadas por mortes de jovens em Timon

20/07/2021 16:14

A Polícia Civil do Maranhão, através da Delegacia de Homicídios de Timon, indiciou 10 pessoas por envolvimento nas mortes das adolescentes Joyce Ellen, 15 anos, e Maria Eduarda, 17 anos, que foram assassinadas e enterradas em uma cova rasa no último dia 21 de março deste ano, no bairro Parque Aliança, em Timon.

De acordo com o delegado Antônio Valente, seis pessoas foram presas até essa segunda-feira (19), todas mulheres, e outras quatro pessoas são consideradas foragidas da Justiça.

“A primeira prisão ocorreu no dia 23 de abril, na cidade de Carlos Barbosa/RS, num trabalho integrado entre as polícias do Maranhão, Pará e Rio Grande do Sul. Outras duas jovens foram presas no dia 24 de junho, na cidade de Teresina, através da DH com apoio da Denarc e DAI. No dia 28 de junho, os policiais civis da Delegacia de Homicídios prenderam outra envolvida em Teresina. Já no dia 13 de julho, a Delegacia de Uruçuí-PI, através do delegado Carlos Alberto Jorge e equipe de policiais civis daquele município, prenderam outra das envolvidas. Na data de ontem, uma equipe da Delegacia de Homicídios de Timon, prendeu na cidade de Marabá-PA outra das investigadas na morte das jovens”, explicou o delegado.

Os demais foragidos foram identificados pela Delegacia de Homicídios de Timon como Willian de Sousa Teófilo, vulgo Bolinha ou Moana, que tem moradia no bairro Três Andares e Vila da Paz; Karina Ellen do Carmo Sousa, vulgo Esmeralda, que reside no bairro Mafrense, Johnny Willer Rodrigues de Souza, vulgo Mentor, um dos líderes de organização criminosa que reside em São Luís-MA e Antônio de Deus Pereira, vulgo Fantasmão, líder da organização no Piauí.

Histórico

A Delegacia de Homicídios de Timon afirmou que o quadro feminino da organização criminosa, de origem maranhense com alcance em outros estados, foi responsável pelas mortes das jovens.

Segundo o delegado Antônio Valente, nenhuma das duas vítimas era faccionada. Joyce residia na área da organização rival e postava fotos fazendo menção apenas por brincadeira. Já Maria Eduarda residia na área da organização que a matou, fazia fotos com o símbolo da referida organização sem ao menos participar, no entanto, foi executada. Pelo menos três das investigadas conheciam Maria Eduarda, do bairro Vila da Paz.

Uma das vítimas foi enterrada viva

O levantamento feito pelos investigadores concluiu que uma das vítimas pediu para morrer com disparos de arma de fogo ou que fosse enterrada viva, em razão das agressões físicas que sofreu, pedindo que não batessem mais nela. Os laudos cadavéricos apontaram ainda que uma das vítimas foi morta com golpes de faca, taco, pá e picareta e a outra jovem foi enterrada ainda viva.

Denúncia

A Polícia Civil do Maranhão disponibilizou um contato para informações anônimas, a fim de tentar localizar os demais alvos que restam ser presos. As denúncias podem ser feitas através do telefone (99) 9 8447-1057 ou em qualquer unidade policial.

Entenda o caso

Duas adolescentes de Teresina, identificadas como Maria Eduarda, 17 anos, e Joyce Ellen, 15 anos, foram encontradas mortas e enterradas dentro de uma cova, na manhã do dia 21 de março deste ano em uma área de matagal, no bairro Parque Aliança, localizado na cidade de Timon.

A frieza dos autores chamou atenção dos investigadores que ouviram do pai da adolescente de 15 anos, que ele foi avisado da morte da filha através de mensagem do WhatsApp, enviada do número da própria jovem, pelos assassinos. A jovem morava no bairro Risoleta Neves, zona norte de Teresina, e estava desaparecida desde a tarde do dia anterior.

Depois disso e sabendo que sua filha havia saído de casa, afirmando que se encontraria com uma amiga em Timon, o pai de Joyce Ellen resolveu procurar a Polícia Civil de Timon para registrar o desaparecimento da adolescente. Posteriormente, a Polícia Civil confirmou que a jovem tratava-se da sua filha.

 


Fonte: GP1



Comentário




Copyright © Portal Destaque do Maranhão

Desenvolvido por: