Boa tarde, 05 de fevereiro de 2023
PUBLICIDADE

“Filho pediu para o pai não matar a mãe”, diz delegado sobre feminicídio em Itapecuru-Mirim

Publicado em: 24/01/2023 11:10

Na madrugada do último sábado (21), o guarda municipal Clenildo Cardoso Santos assassinou a tiros sua ex-mulher, Lisiane Bezerra Lopes, dentro da residência dela, no bairro Roseana Sarney, na cidade de Itapecuru-Mirim. Minutos depois, ele tirou a própria vida, efetuando um tiro contra a cabeça, em uma rua próxima ao local do crime.

Segundo o delegado Saul Laurentino, titular da delegacia de Vargem Grande e que estava de plantão em Itapecuru, o filho do casal, um menino de apenas seis anos de idade, presenciou o crime.

“O filho ainda pediu para o pai não matar a sua mãe”, revelou.

O feminicídio também foi testemunhado pela mãe da vítima, que, em depoimento, relatou como tudo ocorreu. De acordo com ela, Clenildo, que não aceitava o fim do relacionamento, foi até a casa, começou uma discussão e logo puxou a arma.

“A mãe e a vítima tentaram impedir, travaram uma luta corporal para que o guarda municipal não efetuasse os disparos, mas foi em vão, porque ele acabou conseguindo disparar seis vezes”, pontuou o delegado.

NÃO ESTAVA ACOMPANHADA

Ainda segundo a mãe da vítima, em depoimento, Lisiane não estava acompanhada de outro homem, no momento em que o guarda municipal chegou à casa dela.

O delegado Saul disse que essa teria sido a informação inicial que chegou à delegacia, mas que depois foi esclarecida pela testemunha ocular do crime.

Os corpos dos dois foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de São Luís. A arma utilizada pelo guarda municipal, uma pistola da marca Taurus, foi encontrada ao lado do corpo dele.


Fonte: Jornal Pequeno


Comentários






Portal Destaque do Maranhão



Copyright © 2023. Todos os direitos reservados.


Desenvolvido por:
c2 tenologia web